terça-feira, janeiro 26, 2010

Casamento

É casamento junto à fonte das lezírias
É casamento no altar de S. João
É casamento porque a avó anda doente
É casamento porque sim e porque não
É casamento porque os tempos são modernos
É casamento porque eu gosto mais de ti
É casamento porque nem me és indiferente
É casamento porque o padre não se ri
É casamento que amanhã estou ocupado
É casamento para o tio se embebedar
É casamento que o solteiro fica velho
É casamento que anda tudo pra casar
É casamento anunciado de repente
É casamento preparado ao pormenor
É casamento mesmo em cima do joelho
É casamento na feira de Rio Maior

É casamento porque te amo há muito tempo
É casamento porque ontem te conheci
É casamento que a pensão fechou pra férias
É casamento desde a hora em que eu te vi
É casamento já que hoje ninguém casa
É casamento pra alegrar a minha mãe
É casamento porque és linda como a lua
É casamento que eu não quero mais ninguém

Meu amor há mil formas de ser louco
E três formas de ser feliz
Mas no fim só haverá um casamento
E é contigo, algo me diz

É casamento na igreja da tasquinha
É casamento até nas portas do sol
É casamento pra vestir uma gravata
É casamento pra estrear um bom lençól
É casamento porque foste a escolhida
É casamento porque fazes muito bem
É casamento pra acabar com as raparigas
É casamento na rotunda do Cacém

Meu amor há mil formas de ser louco
E três formas de ser feliz
Mas no fim só haverá um casamento
E é contigo, algo me diz

(Diabo na Cruz)



Etiquetas:

2 Comments:

Blogger Patricia said...

Olha que bela rima:

"É casamento porque fazes muito bem
É casamento pra acabar com as raparigas
É casamento na rotunda do Cacém"

A puxares a brasa à tua sardinha, hã?

***

8:16 da tarde  
Blogger Nuno Guronsan said...

No dia em que começarem a haver casamentos na rotunda, aí sim o Cacém vai ser um sítio engraçado para viver...

:D

Beijos.

12:36 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home