terça-feira, maio 20, 2008

Este Silêncio

Há um silêncio pesado
Que não sei de onde é que vem
Nem sei se lhe chamam fado
Ou que outro nome é que tem
Se canto não me doi tanto
O coração magoado
Mas em tudo o que canto
Este silêncio pesado
Não é mágoa nem saudade
Nem é pena de ninguém
O silêncio que me invade
E não sei de onde é que vem
Silêncio que anda comigo
E que mesmo sem eu querer
Diz através do que eu digo
O que eu não posso dizer
Este silêncio pesado
Que me suspende e sustém
Não sei se lhe chamam fado
Ou que outro nome é que tem
Se com palavras se veste
A alegria e o pranto
Então que silêncio é este
Que há em tudo o que eu canto

(Camané)

Etiquetas:

4 Comments:

Blogger Gooffy007 said...

O Camané, o Camané...De facto é incrível, e puxa-nos áqueles maus sentimentos de inveja, como pode alguem ter nascido com tamanho dom.

Parabéns pelas escolhas (refiro-me também ao anterior post relativo ao maior Trovador da música portuguesa).

E ainda dizem que no não há musica em Portugal, é só abrir os olhos (literalmente).

uga
jp

12:54 da tarde  
Blogger Nuno Guronsan said...

Tenho de confessar que este não é um género de música que ouça muitas vezes, bem pelo contrário. Mas é inegável ter que me curvar perante tamanha beleza. E como o disco tem andado a rodar comigo, de um lado para o outro, esta canção, em particular, agarrou-me...

E o trovador... Basta clicar no tag do post e ver quantas vezes ele já por aqui apareceu...

Abraço.

2:21 da tarde  
Blogger Patricia said...

Já tive o prazer de ver este senhor ao vivo duas vezes. Na última, deu uma perninha com canções em inglês e italiano. Mas gosto mesmo é de o ouvir cantar em português.

8:42 da tarde  
Blogger Nuno Guronsan said...

Eu iria mais longe, a nossa língua, já de si bonita, parece ficar sublime nas cordas vocais deste Senhor. Sim, é mesmo com S grande.

9:06 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home